Rugby para Crianças

TAG RUGBYRugby-B
Uma das maneiras de iniciação ao Rugby para as crianças é o “Tag Rugby”, variante do jogo em que não há o contato, em que os jogadores participam da partida com bandeiras penduradas ao calção. A posse de bola dependerá do adversário em conseguir arrancar ou não a bandeira.

Além de apresentar o Rugby para os mais novos, é uma oportunidade de transmitir os valores do Rugby: disciplina, coragem, camaradagem, lealdade, ética, controle e jogo limpo.

São ações como esta que farão a diferença no futuro. Portugal há alguns anos implementou semelhante política de difusão do Rugby – através do “Tag Rugby” – com a ajuda de patrocinadores (cujo público-alvo era infantil), o que contribuiu para o aumento do número de praticantes e simpatizantes pelo jogo. O “Tag Rugby” contribuirá não apenas com o crescimento do Rugby em termos de estatísticas, mas sobretudo em superar barreiras, como a desconfiança pelo jogo, muito em função do contato físico entre os jogadores.

Tudo isso a preservar os princípios do jogo: respeito, a diversão, o árbitro, o treinador e o atleta!

BENEFÍCIOS DA PRÁTICA DO RUGBYWP_20150514_005
Para a prática do rugby é necessário que haja muito contato físico, mas em si o esporte não gera violência física, ao contrário, é muito competitivo e de muita astúcia e vigoridade, onde a violência não tem espaço, pois o jogador de rugby aprende a respeitar o seu adversário e todos os que o cercam.

Na nossa sociedade, a violência atinge todas as camadas sociais e culturais, o esporte não foi descartado desse fenômeno, temos acompanhado através da mídia, brigas, ameaças, todos podem ser vitimas e agressores, ou seja, às vezes agredimos pessoas sem perceber por não entender culturas, hábitos e crenças.

O rugby agrega diversos valores humanos o principal deles e o amor ao seu semelhante, todo praticante dessa modalidade aprende junto com o esporte a camaradagem, fraternidade, respeito ao próximo, compartilhar, entender as diferenças étnicas, religiosas e culturais. Cabe ao professor, reforçar os valores aprendidos pelo esporte de tal maneira, que possa ser utilizado na vida diária dos alunos praticantes de rugby.

Os esportes são locais para a geração de excitação prazerosa, amizade e sociabilidade. Eles são uma grande invenção coletiva, que consegue com sucesso resolver a aparente contradição entre rivalidade e amizade. Pode-se dizer que os esportes são formas de “rivalidade amistosa”, e como tais, são extremamente valiosos. (Gastaldo, 2008, p. 227)

Entendemos a violência como algo estabelecido pelo princípio da desigualdade entre os sujeitos e como algo que extrapola as condições normais de vida. É importante considerar que, até mesmo a linguagem, falada ou gestual (formas simbólicas), pode tornar-se forma de violência quando ameaça, intimida ou ainda desqualifica o outro. No plano do esporte, a violência vai estar presente em função das opções éticas dos jogadores (como vêem o esporte e o adversário), e, ainda, pelas orientações e pressões externas exercidas. No plano social mais amplo, a violência gira em torno das pressões exercidas por grupos sociais, pelas situações familiares, pelas condições objetivas de vida não favoráveis à existência humana e pela falta de perspectivas de futuro. A violência é um fenômeno social. (Martins, 2002, p.191)

Um dos maiores exemplos que o esporte pode mudar a mentalidade de um povo foi vista na copa do mundo de rugby de 1995 que foi sediada na África do Sul, esse país passou por vários anos de um regime chamado de Apartheid esse modelo de segregação racial separou uma minoria de branca da maioria negra, a qual a branca tinha direitos de governar o País. Com o evento realizado nesse país foi usado para unir uma nação por um só objetivo torcer pelo seu país, despertar o espírito de uma só nação esse foi o maior legado que um evento esportivo deixou para todos nós a paz e união entre povos.